Ana Paula do Vale Advogada

PortugueseEnglish

Holding Patrimonial

Em relação ao planejamento sucessório, tanto a holding para pessoas jurídicas, quanto a holding patrimonial para pessoas físicas são vantajosas. Ambas preveem como será dividido o patrimônio da empresa ou os bens, no caso de pessoas físicas, em caso de doação de quotas ou falecimento de um dos sócios ou dono de uma empresa evitando, assim, conflitos.

A holding patrimonial é muito recomendada a pessoas físicas que possuam muitos bens. Afinal é sempre bom ser cauteloso com os seus bens e protegê-los. A constituição desse tipo de holding também pode trazer benefícios ao tributar as receitas auferidas referente a aluguéis e venda de imóveis. Mas é preciso avaliar cada caso para saber se vale a pena vender seu bem imóvel como pessoa física ou como uma holding.

Nos últimos anos, tem-se visto uma crescente busca pela realização de planejamentos patrimoniais e sucessórios. O planejamento sucessório nada mais é do que a adoção de medidas para regular a sucessão e transferência do patrimônio. 

Para que se verifique a viabilidade da constituição de uma holding, é necessário que haja uma profunda análise acerca do acervo patrimonial (ativos e passivos), dos objetivos deste planejamento, de uma avaliação das características e necessidades da família, do nível de proteção e envolvimento dos familiares, bem como da situação tributária, fiscal e societária.