Ana Paula do Vale Advogada

PortugueseEnglish

Bringing Peace to the Table

Bringing peace to the table significa “trazer paz para a mesa”.

Vamos falar sobre mediação e resolução de conflitos?

O conflito é uma parte inevitável da vida.

A participação na Mediação é voluntária. A permanência no processo de Mediação é voluntária. Concordar com os termos do acordo na Mediação é voluntário.

O Mediador não possui qualquer poder para obrigar as Partes a resolver a sua questão. Além disso, o Mediador não atua como Juiz e não decide sobre o assunto. Além disso, o Mediador não avalia a conduta das Partes e determina quem está certo e quem está errado. O Mediador não pode atuar como Advogado ou Terapeuta das Partes. Embora o Mediador possa ser um Advogado, ele deve permanecer neutro e equilibrado e será solicitado a lembrar as Partes da vantagem de buscar aconselhamento jurídico independente sobre seu assunto e sobre as propostas que surgem das discussões de mediação.

A mediação raramente é finalizada em uma sessão. Por isso, é sempre uma boa ideia passar algum tempo preparando-se para uma mediação. Idealmente, isso deve acontecer antes do início de cada sessão. Ao se preparar, é sempre uma boa ideia começar levando em consideração o seguinte:

  1. A natureza das questões em disputa,
  2. Possíveis resultados para um assunto,
  3. As opções menos prejudiciais disponíveis para cada parte,
  4. Como a outra parte pode perceber a disputa, e
  5. Qual seria o seu melhor resultado possível.

COMO SABER SE A MEDIAÇÃO É CERTA PARA VOCÊ?

Este Questionário de Mediação foi desenvolvido para ajudá-lo a determinar se a mediação é ou não algo que você deve considerar para a resolução de sua disputa:

  1. Você quer se envolver em um processo em que você e a outra parte possam controlar totalmente o que acontece no processo e durante o processo?
  2. Você quer manter o controle do resultado de suas negociações?
  3. Você quer permanecer no controle de seu próprio futuro em vez de entregá-lo nas mãos de outros?
  4. Você preferiria se envolver em um processo que não tem o tempo e a rigidez das regras geralmente associados ao litígio?
  5. Você quer economizar tempo, dinheiro e emoções?
  6. Você precisa preservar as relações familiares em curso?
  7. Você quer que os melhores interesses de seus filhos sejam um ponto crítico de discussão na mediação?
  8. Você quer que o resultado de sua disputa seja mutuamente satisfatório e mutuamente benéfico?

A resposta dos mediadores online à pandemia:

Na América do Norte, onde muitos de meus amigos e colegas de mediação praticam e trabalham, a Mediação Online é, desde março de 2020, a única maneira de muitos deles praticarem seu ofício. E por todas as contas, eles estão fazendo um excelente trabalho e têm clientes muito felizes e satisfeitos. Muitos desses Mediadores indicaram que não voltarão à mediação presencial. Eu mesma, pratiquei mediações online no Canadá.

A Mediação Online pode ter uma desvantagem ou duas, mas…

Sim, pode haver quem veja desvantagens no processo de mediação online, sendo a mais notável o impacto de uma conexão de internet ruim na fluidez da experiência de mediação. E sim, pode haver alguns que preferem a maneira mais tradicional de fazer as coisas.

Mas, para aqueles que estão dispostos a abraçar o novo, existe um mundo intocado de avanço tecnológico que está à nossa porta e está pronto para receber as pessoas. Você está pronto para isso?

1 comentário em “Bringing Peace to the Table”

Comentários encerrados.